Fizeram uma macumba pra mim! Só pode!!!

Coitada da galinha, que leva a culpa de tudo

Quem nunca ouviu essa frase (ou nunca falou) depois de entrar pra umbanda?

O médium quando se desenvolve e começa a trabalhar na prática da caridade, começa a perceber a força que existe nos trabalhos espirituais, e que podem ser usadas tanto para o bem quanto para o mal, já que a magia por si só é neutra.

A energia da magia tá aqui ao nosso redor, cabe a nós termos a ética cristã em nossos corações e não utilizar para o mal, nem para o mal dos outros quanto para o nosso próprio mal (afinal quantos de nós não alimentamos sentimentos destrutivos e viciosos, que são tudo que o obsessor precisa pra “encostar” e ficar na gente?)

Pois aí o médium percebe toda energia que existe na natureza e, por falta de conhecimento ou recesso de ego, já logo imagina que aquilo pode ser usado contra ele por um “inimigo”.

E toda hora esse “inimigo” ataca, e deve fazer tudo quanto é trabalho contra o médium, já que a qualquer dificuldade a pessoa logo exclama: isso é macumba contra mim! É inveja! É mal-olhado! É encosto mandado pra me destruir!

E não pode bater o dedinho na quina da mesa que foi um Exu que te fez tropeçar, brigou no trânsito? Kiumba! Brigou com o marido? Pombogira que fez amarração!

No entanto a pessoa não para pra pensar em algumas coisas….

Primeira coisa: será que você e tão importante assim quanto acha que é? Porque pra alguém fazer trabalhos, invocar tudo que não presta e demandar contra você, é porque deve ser uma pessoa muito importante! Só que não.

Nosso ego é muito bom em achar que o mundo gira ao nosso redor, mas na maioria das vezes aquela pessoa que vc considera seu maior inimigo não está nem um pouco preocupado com você, e não está dando a menor importância pra você no mundo. No entanto veja só quem está o tempo todo pensando no inimigo… Você mesmo!

Outra coisa importante de se ter em mente: 90% das ditas obsessões vem sabe de onde? De nós mesmos! Somos nós quem nos prendemos em prisões espirituais, atraindo tudo que há de pior a nossa volta. Pensando o tempo todo que alguém fez um trabalho, que tem um obsessor te azucrinando, tudo isso é o melhor caminho para atrair pra si senão um obsessor, pelo menos uma boa meia dúzia de miasmas e outras larvas astrais.

E o mecanismo é bem conhecido, os afins se atraem… Se vc tem pensamentos ruins, atrai energias ruins tbm. Se vc fica o tempo todo pensando num obsessor que seu ego inventou, vai atrair um obsessor afim.

Só que quem pensa e vibra coisas boas também só atrai o que há de bom à sua volta!

Agora se você acha que está sendo atacado espiritualmente, use todo seu conhecimento espiritualista a seu favor. Tenha a certeza que a macumba só “pega” se vc deixar e der espaço.

Quem está numa faixa de vibração mais elevada não e facilmente atingido por um espírito com vibração inferior . E essa é nossa maior proteção: o nosso pensamento.

Banho de ervas ajuda? Ajuda. Cristais? Ajuda. Passe? Ajuda também. Defumar? Usar guia? Acender vela? Rezar? Tudo isso ajuda muito!

Mas de que adianta vc tomar banho de sal grosso, sete ervas, acender vela de anjo da guarda, tomar passe… E sair do banho já pensando em como alguém tá te puxando o tapete ou pior, em como puxar um tapete alheio?

A gente vê isso em todo centro: a pessoa chega acompanhada do seu “obsessor de estimação”, ele fica na porta do terreiro, a pessoa entra e toma passe. Sai limpinha de dentro da sala de passe, chega no portão dá a mão ao obsessor e vai embora. E recomeça tudo de novo….

Então, cultive bons pensamentos, trabalhe o seu orgulho em saber que não é o centro do universo, pratique a caridade e largue mão de jogar a culpa dos seus problemas numa macumba alheia.

Comentários

comentários

Cleber Quichimbí

Cleber Quichimbí

Cleber 38 anos, filho de Oxalá... Idealista e emotivo. Metódico. Estudioso. Qualquer brinquedo é motivo para ser montado e desmontado. Este é seu maior desafio na vida: entender como as coisas funcionam nos mínimos detalhes.

Você pode gostar...