A quaresma é só um período de quarenta dias, chega de ter medo!

Não há razão alguma para ter medo da quaresma.

O período compreendido entre o carnaval e a páscoa, conhecido como quaresma, é tido por grande parte dos umbandistas como um período sombrio, onde, supostamente, forças nefastas teriam maior poder sobre os encarnados e todos -especialmente os médiuns – estariam mais sujeitos a demandas e obsessões.

Porém consideramos importante prestar alguns esclarecimentos e, muito mais do que somente mostrar um ponto de vista diferente, nosso maior propósito é o de propor uma reflexão sobre mais este tema tão importante a todos nós.

Primeiramente, é importante destacar que não desconsideramos nenhuma informação ou instrução dos guias, bem como a doutrina e as tradições de nenhuma casa ou terreiro no que se refere aos cuidados e preceitos sobre a quaresma.

Contudo, há alguns fatos e reflexões que talvez possam ajudar a ver os outros lados desta questão e, quem sabe, ajudem também a vivenciar este período com um pouco mais de leveza.

A quaresma é o período de quarenta dias entre o fim do carnaval e a páscoa. Segundo a liturgia caótica, seria este um período de profunda reflexão que culmina na ressurreição de Cristo, no qual não se come carne vermelha, bem como há a determinação para uma série de abstenções.

Importante destacar que a páscoa católica, por sua vez, tem suas origens tanto nos cultos ditos “pagãos” à deusa Eshter, comemorando a chegada da primavera no hemisfério norte e a fertilidade, quanto no Pessach, tido como a “Páscoa Judaica”, mas que, no entanto, possui significado e liturgia própria.

Não se trata de uma data ligada á morte de Cristo diretamente, ou à sua ressurreição, mas sim de um período escolhido pela igreja católica para mudar o significado do culto à Eshter, suprimido os cultos ditos pagãos, bem como se aproveitando de uma comemoração já existente para usar essa data em um dia litúrgico católico e aumentar a aceitação do catolicismo nos seus primórdios.

A liturgia católica estabeleceu esta data para rememorar a morte e ressurreição de Cristo e, por outro lado, ser a base para todo seu calendário litúrgico, posto que é uma data variável.

Sendo assim, o primeiro ponto que merece destaque é o fato de que, verdadeiramente, a quaresma só tem significado pleno, e relevância, para os católicos. A Umbanda, apesar der elementos católicos em sua origem, não está vinculada às determinações do Vaticano, tampouco deve se pautar pela agenda católica.

Há no meio umbandista a crença de que na quaresma os piores espíritos estariam livres, ou ao menos mais fortes, e que seria este um período onde estaríamos mais sujeitos a demandas e obsessões, pois tudo de pior estaria rondando.

Em função disto, muitos umbandistas e espiritualistas chegam a temer a quaresma e se revestem de todo tipo de “proteção” neste período, a fim de se livrarem dos supostos carregos.

Tudo no universo é vibração, tudo, nós inclusive, termos nossas freqüências. Sendo assim, nós “sintonizamos” a nossa realidade e nos afinizamos com essa realidade, trazendo ela para perto de nós.

Ou seja, se você ACREDITA que na quaresma tudo de pior pode acontecer, todos os espíritos de baixa freqüência estão rondando e que o ambiente é propício ao mal, e TEM MEDO de que algo de ruim aconteça, sinto informar que você se afinizou com esta realidade e está trazendo isso pra você!

Somos inegavelmente protegidos pela espiritualidade. Nossa esfera, apesar de densa, não permite a invasão dos seres mais trevosos e não há nada que faça com que os espíritos que convivem conosco neste dimensão e que tenham um mal propósito fiquem mais fortes nestes quarenta dias.

Cristo e todos os trabalhadores que atuam em nome do Cordeiro de Deus não ficam mais fracos ou deixam de trabalhar neste período. O trabalho é constante e cresce a cada dia.

Nossos guias e mentores não nos abandonam na quaresma, muito menos nosso Anjo da Guarda e nosso Exu Sentinela. Estamos protegidos e guardados o tempo todo.

Igualmente as egrégoras de cada um dos terreiros e casas espiritualistas de qualquer natureza não se enfraquece e se você faz parte de uma corrente mediúnica, tenha certeza absoluta de que esta egrégora e está corrente te sustentam e que jamais um carrego ou coisa parecida irá te atacar por séries trabalhos, na quaresma ou fora dela. Estamos guardados.

A única porta aberta para ataques e obsessões é a que nós mesmos deixamos aberta.

Atitudes ruins, maus pensamentos, pessimismo, conformismo, credulidade sem reflexão, dependência espiritual, vitimismo e tantos outros padrões de pensamento são assim os verdadeiros culpados pelo que nos acontece de ruim, não um simples período entre dois feriados.

Vivemos em um mundo assolado por guerras, violência urbana, corrupção, medo, ganância, consumismo, tirania e muito mais. Pessoas morrem de fins, frio e doenças curáveis a cada minuto e isso não muda com a quaresma.

Nosso mundo é um meio desfavorável durante os 365 dias do ano e, mesmo assim, nós vivemos e sobrevivemos, todos os dias e seguimos trabalhando e estudando, desenvolvendo nossa espiritualidade, sempre apesar de tudo e na quaresma não pode ser diferente!

Está na hora de abandonar o velho medo e as crenças limitantes e abrir espaço para o novo em nossas vidas.

Se você crê na ressurreição e considera a quaresma um período sagrado, seja e viva o sagrado e faça por onde crescer e renascer em sua fé.

Assuma as rédeas da sua vida espiritual e deixe pra trás e de uma vez esse medo irracional. Vibre e seja o amor de Cristo para si e para os outros e confie na sua fé. Tudo está certo e bem e tudo será melhor ainda daqui pra frente.

Te desejo uma quaresma tranquila, linda e em paz e que o amor possa ser o seu maior guia neste e em todos os dias de sua vida e que você possa se libertar das amarras que ainda te impedem de voar mais alto.

Siga sem medo.

Axé!

Comentários

comentários

Você pode gostar...